Quarto de Megan Ivashkov

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por James Blackwell em Dom Jun 16, 2013 3:34 pm

Relembrando a primeira mensagem :

---------------------------------------




Aberto a todos(principalmente a gatos). Sem formalidade. Só entre.
---------------------------------------

_ _ _ _ Acampamento SobreNatural RPG _ _ _ _


James Blackwell


Depois de mais um final de semana, Surfando, Ficando e na Bebedeira
I like to drink, but I love kissing.
avatar
James Blackwell
Administrador

Mensagens : 371
Localização : Quarto8)

Informações
PhotoPlayer: Ian Somerhalder
Raça: Vampiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Dom Ago 11, 2013 10:17 pm




Break the Ice!

We're restless at heart burnin' inside !


Eu fui à festa. Fiquei um bom tempo anternando entre beber, fumar cigarros e beijar. Eu me permitia fumar somente uma vez em cada mês, porque haviam me dito que engorda e, de jeito nenhum, eu não podia (e não queria) ficar viciada. Bran dizia que eu deveria parar e eu nem ousava contar para Liss sobre isso. Mas eu iria parar. Sério. Mês que vem.
Lá pelas duas da manhã, eu encontrei outro vampiro, Jonathan, e nós viemos para o meu quarto. Realmente, ele valia a pena, porque afinal era meu aniversário e eu merecia o melhor! Ele era ótimo, tirando o fato de que 2:30 estava dormindo, profundamente, na minha cama. Eu estava cansada, mas não com sono. Pensei em voltar para a festa, mas não era nos limites do camp e agora estava muito longe.
Meu aniversário não podia terminar assim, podia? As palavras do comandante vieram a minha mente, de novo. Enquanto me vestia, olhei Jonathan e senti que ia começar a chorar. Não! Isso vinha acontecendo todo dia desde que o comandante tinha me acusado de ser aquilo lá. Não podia chorar no meu dia preferido do ano. E não iria. Controlei minha respiração, peguei uma certa jaqueta que eu havia achado ontem, vesti e saí do quarto, sem vontade nenhuma de voltar para a festa.

Continua: http://campsobrenaturalrpg.forumeiros.com/t687-quarto-de-hospedes


Place: Meu Quarto With: Jonathan Music: Break the Ice - Britney Spears Clothing: This
credits @
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Sex Out 04, 2013 11:08 pm




I'm A Slave 4U!

And I need to do what I feel like doing!


Cinco dias. Cinco dias trancada nesse inferno. Acho que nunca odiei meu quarto tanto assim e nunca passei tanto tempo dentro dele. Que raiva! Só porque eu não me aguentei o suficiente e acabei desmaiando em uma aula. Meu pai acabou descobrindo e foi uma droga, ele me levou no médico e coisas assim. Por isso estou trancada, ''repouso'' ele diz. ''Prisão'', eu digo. Mas é claro que não aceitei isso tão fácil assim.
No primeiro dia eu chorei, sério. Nunca vi meu pai tão bravo e triste comigo, mas o choro foi mais de raiva. Só não quebrei tudo no quarto porque realmente estava fraca e, quando meu pai foi embora, caí na cama e dormi até o dia seguinte.
No segundo dia acordei bem cedo e tentei sair daqui. Descobri que a porta estava trancada e, depois de esmurrá-la com todas as minha forças, decidi pular a janela. Era alta, mas não foi tão difícil. Pulei, mas me descobriram e me trouxeram de volta. Foi aí que eu pudever que meu pai amado tinha colocado seguranças na minha porta. Caras impossíveis de se seduzir.
No terceiro dia resolvi mudar de tática, não reclamei e, quando meu pai veio me ver, fiz o papel de filha perfeita. Sem resultado. Uma droga.
No quarto dia, quando o diretor vem ao meu quarto, pego um prato de uma sopa nogenta, intocada, que tinham trazido para mim mais cedo e jogo na cara dele. Então nós brigamos. Faço questão de dizer para ele que minha mãe não faria o que ele estava fazendo e meu pai diz que ela não está aqui. O óbviu, eu já sei disso.
Hoje é o quinto dia e ainda não consegui fugir. Acho que vou tentar correr quando meu pai chegar, mesmo sabendo que eu não tenho chance com aqueles dois caras-armários do lado de fora. Tomo um banho, lavo o cabelo, me arrumo, colocando uma roupa para sair, e vou secar o cabelo, para passar o tempo fazendo alguma coisa.


Place: Meu Quarto With: Sozinha Music: I'm A Slave 4U - Britney Spears Clothing: This
credits @
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Dallas Boulevard em Dom Out 13, 2013 6:50 pm



Kidnap
what can be better


Há guardas na porta e eu não queria começar assim, mas dou um soco em cada um e os dois caem desacordados, sem muito barulho, sem chamar muita atenção. Fácil.
Entro no quarto dela e fecho a porta atrás de mim. Encontro Megan se arrumando e percebo que vai ser muito mais fácil do que enganar uma criança.
Papai colocou seguranças na sua porta, é? O que você fez dessa vez, Megan?
Só então ela parece tomar consciência de que estou ali. Vou me aproximando devagar dela e percebo que ela recua, até bater com as costas na parede. Não paro de me aproximar.
Sabe, estava com saudades de você.
Paro com o rosto a centímetros do dela, sorrindo malicioso. Vou passando as mãos pelos seus ombros e descendo pelos braços...
Do seu perfume... Da sua boca...
é fácil beijá-la e traçar uma linha com o nariz que desce pelo seu pescoço e para ali. Se eu fosse um vampiro, já teria mordido-o, mas só mantanho a respiração regular, sentindo seu perfume, se tirar o nariz do seu pescoço. Minha mãos acham a cintura dela e eu a aperto, um pouco forte demais, de propósito.
Não estava com saudade de mim, Megan?
Sussurro no seu ouvido e volto a beijá-la. Sempre admirei como é fácil levar uma garota para cama com essa conversinha de saudade, mas é sempre mais gostoso fazer isso com Megan.

infinitize @JM and @GL


avatar
Dallas Boulevard
Demônio

Mensagens : 41
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Paul Wesley
Raça: Demônio

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Ter Out 22, 2013 5:16 pm




I'm A Slave 4U!

And I need to do what I feel like doing!


Quando terminei de secar o cabelo, parei por um segundo e me olhei no espelho. Nunca me achei especialmente bonita, de verdade, mas as pessoas acham e eu só acredito nelas. Elas deveriam me ver assim, sem maquiagem. Só que não hoje. Pego rímel, lápis, batom e tudo o mais e já estou terminando quando escuto a porta se fechar. Pensando que é meu pai em mais uma de suas visitinhas, continuo me arrumando calmamente. Até ouvir a voz dele. Dallas.
Passo o batom com calma e tiro o excesso antes de sair do banheiro. Não respondo à ele sobre o que eu fiz para ter seguranças na minha porta. A última coisa que eu quero no momento é conversar com Dallas. Ele começa a falar que estava com saudade de mim e vou me afastando dele, até bater de costas na parede, o inevitável. Deixo ele falar o quanto quiser, me beijar e me apertar ainda mais contra a parede. Não faço nada para impedi-lo. Certa vez eu fiz isso e acabou sendo muito ruim para mim.
Viro o rosto de lado, para não ter que encará-lo e mantenho minha expressão vazia. Coloco as mãos nos ombros dele, para empurrá-lo e fazê-lo soltar a minha cintura, porque já estava doendo, de tanto que ele apertava. Mas não faço isso. Desisto no último minuto, com uma ideia em mente: se eu queria sair do quarto o mais rápido possível, tinha que me aproveitar da situação. Em vez de empurrar, puxo e beijo ele. Demoradamente. Intensamente. Loucamente. Excitantemente.
Passou longe de ser o melhor beijo da minha vida, mas tinha certeza de que Dallas havia gostado. Existe um tipo de beijo certo para cada tipo de pessoa. E não é difícil decifrar o perfeito para Dallas. Quando o beijo termina, sussurro no ouvido dele:
Estava morrendo de saudade.
Que mentira. Vou empurrando-o para o sofá, onde caímos deitados, sem parar com os beijos. Algum minutos depois, afasto um pouco ele.
Vamos para outro lugar. Não dá para fazer nada aqui com esses caras-armários do lado de fora.
Caia nessa. Caia nessa. Caia nessa.


Place: Meu Quarto With: Dallas Music: I'm A Slave 4U - Britney Spears Clothing: This
credits @
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Dallas Boulevard em Sab Out 26, 2013 6:42 pm



Kidnap
what can be better


Megan reage exatamente como o esperado, o que é muito estranho, e me deixa alerta. Ela me beija e diz que estava com saudades. Não acredito em uma palavra, claro. Ela me odeia, eu tenho certeza. Mas a filhinha do diretor me empurra para o sofá e continuamos nos beijando, até ela parar e dizer o que realmente quer. Porque ela sempre tem segundas intenções em tudo.
Ah, então você está trancada aqui e não consegue sair? Só consigo sentir pena de você, Megan.
Levanto do sofá, deixando-a sozinha.
Sabe, você está cada dia pior. Em vários aspectos. Evolua, Megan. Mas vou tirá-la daqui. Só que você vai fazer exatamente o que eu mandar, sem reclamar e sem perguntar nada. Nós vamos para um lugar longe daqui e não quero ouvir sua voz, entendeu? E, chegando lá, você vai ficar quietinha, como uma boa garota, fazendo o que te mandam. Combinado?
Muito mais fácil do que pensei. Ela concorda, claramente desesperada para sair do quarto. Passamos pelos guardas, ainda desacordados, e vamos para a floresta.

Continua: http://campsobrenaturalrpg.forumeiros.com/t235-floresta#4793

infinitize @JM and @GL


avatar
Dallas Boulevard
Demônio

Mensagens : 41
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Paul Wesley
Raça: Demônio

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Ter Dez 24, 2013 8:37 pm




I'm A Slave 4U!

And I need to do what I feel like doing!

Então, quando chego no meu quarto e a escuridão me recebe, as lembranças de uma parte da madrugada, que não descrevi para Liss, invadem minha mente.
Adam e Dallas entram num acordo e Adam me levou para fora da cabana, para longe da tortura e do chicote de Caroline. Acho que nem Katherine nem o comandante veem eu sair. Katherine eu tenho certeza que não vê, porque ela esta gritando, mas não tenho certeza quanto ao comandante. Suspirei aliviada por um momento e me arrastei atrás dele, cada vez mais para dentro da floresta. Paramos a uma distância considerável da cabana e olho para ele, sem entender. Ele puxa minha saia com força e ela sai, talvez para ter mais lugares do meu corpo a mostra, para passar a mão, bater ou cortar. Sou empurrada e a pior forma de tortura começa. Eu olho ao redor e, vendo que estamos bem longe de qualquer coisa, grito. Solto os gritos que estavam presos na minha garganta por todo aquele tempo. Adam parece gostar. Ele me usa e depois me joga fora, como se eu fosse um tipo de boneca descartável. Passam-se horas, ou talvez minutos, e Dallas chega.
Ele havia me escutado gritar e diz que vai me fazer pagar. Manda Adam embora e sorri para mim. É assim que eu sei que tudo vai ficar muito, muito pior. Ele me manda fazer algumas coisas e, no meio de tudo, me pego desejando que Adam volte. Com ele, pelo menos, não doía tanto. Dallas se diverte enquanto eu sofro de boca fechada, mas antão a dor é tanta que lágrimas começam a escorrer dos meus olhos. Tento escondê-las dele, mas é impossível. Ele inventa um tipo de tortura diferente para cada maldita lágrima que cai. Depois de brincar comigo, também me descarta, como Adam. Tenho a leve impressão de que acabou, que não vou ter que sofrer mais. Só que é claro que estou errada. Ele não me deixa parada e me obriga a botar a saia de novo, talvez para Caroline não suspeitar do que havia acontecido, como se ela não imaginasse, e me faz caminhar até a cabana. Caminhar. Sempre que paro um pouco, para respirar, ou fico um pouco para trás, ele me bate nas costas, com a mão fechada e com o cabo de um punhal. Dói.
É um alívio quando chegamos na cabana. Desabo no chão e sou recebida com ''carinho'' por Caroline. Não ligo. Dói menos do que havia doído lá dora. Achei que havia acabado.
Adam e Dallas repetem a dose pouco tempo depois. E, na volta, então tão morta, tão podre, que Dallas me carrega para a cabana. E depois me joga no chão sem piedade, claro.
Tudo isso passa pela minha cabeça, enquanto me forço a continuar fazendo algo. Tomo um banho quente e percebo como ainda estou dolorida. Visto algo para dormir e então deito na cama, o quarto ainda completamente escuro. Mas não consigo ficar deitada. Sento, enrolada no cobertor, e percebo que estou tremendo.
Só queria esquecer tudo aquilo. Queria não ter passado por nada disso.


Place: Meu Quarto With: Sozinha Music: I'm A Slave 4U - Britney Spears Clothing: This
credits @
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Christian Markwell em Qui Dez 26, 2013 2:22 pm


Floresta

SEQUESTRO- @


Logo que saímos de lá, eu e Willian, fomos direto para o Acampamento. Conversei com ele por alguns minutos sobre o que aconteceu, me certifiquei de que ele não precisava de nada e fui dar uma volta, colocar os pensamentos em ordem. Era refrescante ter a chuva caindo sobre mim, apesar de doer por causa dos machucados. Não quis ir a enfermaria ou ver um médico, não gosto disso e nem de hospitais ou alas de enfermaria. Normalmente eu mesmo faço os curativos. Estou melhorando muito, agora eles estão aceitáveis. Antes parecia que foi feito por uma criança de oito anos brincando de ser médico.

Vagando sem rumo, acabo ficando em frente ao dormitório dos vampiros. E lembro de algo que aconteceu lá na cabana, quando Dallas e Adam levaram Rose para longe. Katherine não viu isso, provavelmente, a saída estava de costas para ela, mas eu percebi. Como eu não tinha nada para fazer, resolvi entrar e ver como ela estava. Nunca lidei com pessoas que passaram por esse tipo de situação, mas sei que ela deve estar mal. 

Enquanto andava até a parte dos quartos no dormitório dos vampiros, alguns ficaram me encarando sem disfarçar, mas nenhum se aproximou nem falou nada. Pergunto para alguém onde fica o quarto da Rose, e vou para onde ela indicou. Bato na porta e espero.
- Rose? Posso entrar?


avatar
Christian Markwell
Comandante dos Guardiões

Mensagens : 158
Localização : Black Castle + Londres

Informações
PhotoPlayer: Matt Dallas
Raça: Filho das Sombras

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Qui Dez 26, 2013 6:44 pm




I'm A Slave 4U!

And I need to do what I feel like doing!

Não sei quanto tempo se passou, mas escuto batidas na porta e me assusto. Levanto rápido demais, enquanto ouvia um ''posso entrar'', e abro a porta. Ah, tinha que ser ele.
Não. Não pode entrar. Mas vai entrar de qualquer jeito então...
Eu saio da frente da porta para o comandante entrar e dou uma olhada no corredor. Incrível como tantas garotas fofoqueiras podem ficar nas portas dos seus quartos ao mesmo tempo. Volto para dentro do quarto, fecho a porta, trancando-a, e viro para ele. Tento imaginar como estou parecendo. Uma daquelas garotas frágeis e frufrus daqueles filmes depois, é claro, de ter passado por algo tão... assustador... como o que eu passei. Só que no caso delas não é tão horrível. E elas têm o mocinho legal e lindo para lhes consolar. Isso não é vida real.
Lembro da conversa com Liss e, vendo ele agora aqui, não parece tão anormal que ele goste de mim. Só continua parecendo impossível. Mas não anormal.
Então, o que está fazendo aqui?
Pergunto enquanto voltava a sentar na cama, com um cobertor sobre os ombros, e ligava o notebook. Olho para a tela depois de um tempo e vejo a minha foto preferida de papel de parede. Eu estou ali com Liss e Bran, um de cada lado, me abraçando. E nós estamos tão felizes que parece surreal. Tinha sido no meu primeiro Fashion Show. Estava com um corpete cor-de-rosa e tinha convidado meus dois melhores amigos. Acho que estava com quase 16 anos.
Paro de olhar a foto e de lembrar das coisas. As lembranças podiam doer, sério. Começo a procurar um filme para ver e olhar para o comandante ao mesmo tempo. Na verdade, eu gostava que ele estava aqui. Não queria ficar... sozinha. Não faz sentido, mas não queria.


Place: Meu Quarto With: Comandante Music: I'm A Slave 4U - Britney Spears Clothing: This
credits @
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Christian Markwell em Sex Dez 27, 2013 12:37 am


Quarto de Rose

SEQUESTRO- @




 Rose abre a porta e assim que entro, após dar uma olhada no corredor, ela fecha e tranca a porta. Ela senta na cama, o cobertor cobrindo seus ombros, apesar dela não sentir frio - é uma vampira, e começa a usar o notebook dela. Fico curioso para saber o que ela está vendo na tela, mas não consigo, pois estou de costas.


Pensei em sentar na cama, de frente para ela. Mas então lembrei dos beijos e... Não posso me arriscar, então sento no sofá, com o abajur entre nós. Mais seguro para ela. Olho ao redor para ver se há alguma nova última e única outra vez em que vim aqui, para pedir desculpas pelo que falei a ela na praia. Não pensei que ela ia me perdoar na época. 


- Vim saber como você está. Na cabana, no meio da noite... Eu vi quando os dois levaram-na para longe. Não vi mais nada, mas não preciso ser inteligente para saber o que aconteceu. E... Eu sei que é muito difícil passar pelo que você passou. Foi corajosa, mas... Você não está bem, está? E, Rose, por que não foi à enfermaria? - respondo à pergunta dela e faço outra, ao perceber que ela ainda estava um tanto machucada, e não com cara de quem foi tratado por um médico ou enfermeiro.



avatar
Christian Markwell
Comandante dos Guardiões

Mensagens : 158
Localização : Black Castle + Londres

Informações
PhotoPlayer: Matt Dallas
Raça: Filho das Sombras

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Sex Dez 27, 2013 11:43 pm




I'm A Slave 4U!

And I need to do what I feel like doing!

Ele vem com uma conversa de saber como eu estou e comenta sobre aquela parte da noite. Diz que é difícl passar pelo que passei, que fui corajosa, que não estou bem e que preciso ir na enfermaria. Parabéns, comandante. Você tem o dom de falar o óbvio. Deixo o notebook de lado e me viro para ele. Não pude deixar de notar que ele sentou longe demais. Evitando proximidade. Certo. Liss vai saber disso. Só reforça o que eu penso sobre ser impossível.
Até porque ele consegue mudar o meu humor como ninguém. E eu não gosto nem um pouco disso. Era uma noite mais ou menos. Agora, relembrando tudo aquilo com a ajuda dele, virou uma noite péssima.
Não. Você não sabe como foi. Você não tem nem ideia.
Digo, encarando diretamente ele. Dou uma pausa, lembrando de algumas cenas, antes de continuar.
Eu estou bem. E não gosto de enfermarias.
Minto e falo a verdade. Só queria encerrar esse assunto e não pensar mais em nada. Só que ele estava ali. E eu sentia que não ia conseguir segurar tudo por muito tempo.
Então conto o que aconteceu na floresta em detalhes, sem parecer uma vítima ou uma mocinha enjoada de filme. Só relato os fatos. E ele escuta sem interromper. É um bom ouvinte.
Depois, sem querer acabo deixando escapar que fui demitida. Sério, eu não queria que ninguém soubesse. Todos iam saber depois mesmo. Fico pensando nisso por um tempo. Não posso nem sair do acampamento, porque a essa hora as revistas de fofoca já devem estar sabendo de tudo e querem falar comigo, para conseguir uma declaração ou algo assim. Como se para confirmar a procura por mim, meu celular toca e o identificador diz que é a People. Recuso a chamada e em segundos começa a tocar de novo. Outra revista. Recuso de novo e desligo o celular. Por um bom tempo ia ter que deixar ele assim, sabia disso. Jogo-o num canto e deito na cama. Morta, esgotada, cansada e triste. Olho para o comandante no sofá e peço, com a voz baixa:
Fica aqui comigo? Por favor?
Eu não queria passar essa noite sozinha. De verdade.
Levanto e sento no sofá ao lado dele, ainda com o cobertor nos ombros. Coloco o notebook na mesinha na frente do sofá e espero ele dizer algo. Tinha achado um filme.


Place: Meu Quarto With: Comandante Music: I'm A Slave 4U - Britney Spears Clothing: This
credits @
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Christian Markwell em Dom Dez 29, 2013 10:56 am



PÓS-SEQUESTRO- @






Ela tem razão: não sei como foi. Mas tenho uma noção de que ultrapassou o horrível. Não acredito quando ela diz que está bem, mas entendo ela não gostar de enfermarias. Sou igual.

Sou pego de surpresa quando ela começa a contar tudo. Foi um pouco pior do que imaginei. Muitas pessoas estariam visivelmente traumatizadas. Porém, fico mais surpresa ainda quando ela diz que foi demitida. Nunca achei que isso aconteceria. De verdade, ela parece ser uma boa modelo - e famosa. 

Não comento nada sobre o que ela disse, apenas deixo o assunto de lado. Sei que ela não quer aprofundar nisso, muito menos relembrar por muito tempo. Rose pergunta se eu fico com ela aqui, nessa noite. Penso rapidamente. Por um lado, não é lá muito apropriado. Por outro, ela pedir isso realmente comprova que ela está precisando.

O outro lado ganha e eu afirmo com a cabeça. Sento ao lado dela, ainda com uma certa distância. - Então, está a fim de um filme? Romance não.



avatar
Christian Markwell
Comandante dos Guardiões

Mensagens : 158
Localização : Black Castle + Londres

Informações
PhotoPlayer: Matt Dallas
Raça: Filho das Sombras

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Seg Dez 30, 2013 8:31 pm




I'm A Slave 4U!

And I need to do what I feel like doing!

O comandante aceita meu super gentil pedido de ficar ali, para minha surpresa. Mas então ele pergunta se estou a fim de um filme e diz que não quer romance. Queria que Liss estivesse aqui para ver isso, só prova o quanto mais pateticamente impossível parece a ideia dela.
Eu também não queria romance. Clico ''play'' no filme no MacBook e ele começa. O quarto já estava bem escuro, por isso não tive que fechar nada. Nós vemos os primeiros cinco minutos de um filme de ação, bem agitado mesmo e então eu começo a achar que está faltando algo. Sim, eu estou tentando ver um filme, mas não, isso não está me distraindo dos meus pensamentos. Tenho uma ideia repentina, dou ''pause'' e levanto.
Vou até o closet e, com a chave, abro o cofre que ficava escondido atrás de alguns sapatos. Tinham algumas joias ali, mas não era isso que eu procurava. Olhando mais no fundo, vejo três pacotes de marshmallows. Dois pequenos, aqueles que eu me permitia comer um por cada semestre em um ano, mas que eu nem tinha tocado esse ano, e um grande, gigante na verdade, para emergências. Penso por um segundo. Sim, é uma emergência. Pego o pacote enorme, fecho o cofre, coloco a chave no lugar e volta para o sofá. Abro o pacote sem pensar muito, sabia que, se pensasse, iria desistir da ideia de comer o me doce favorito no mundo inteiro. Coloco-o entre mim e o comandante, e diminuo o espaço de 20 centímetros que ele tinha deixado entre nós. Não conseguia imaginar o que ele estava pensando no momento, afinal, eu estou comendo por vontade própria! Digo a ele que pode comer, à vontade, e espero mesmo que ele coma, senão tenho certeza que vou detonar o pacote inteiro. Mas não tem mais importância agora, certo? Não preciso ficar magra para marca nenhuma. Pensar nisso me faz parar por um segundo, então coloco o filme de novo e continuo a comer.
O filme não tem graça nenhuma, de verdade, dá pra dizer quem é o responsável por todas as mortes já na primeira cena. Lá pelo meio da história toda, eu começo a ficar muito cansada. Parece que, com tudo que aconteceu, eu nunca mais ia conseguir dormir, mas eu filme ruim pode mudar tudo, sempre.
Deito no sofá e apoio a cabeça no colo do comandante, continuo a olhar para o filme, mas meus olhos vão se fechando aos poucos e finalmente caio em um sono profundo. O pacote de marshmallows já tinha acabado mesmo, não havia razão para continuar acordada. Sonho com Liss entrando no meu quarto e me vendo desse jeito com o comandante. Então nós dois explicamos que não é nada do que ela está pensando. E ela começa a rir muito, dizendo que formamos um belo casal. Louca.


Place: Meu Quarto With: Comandante Music: I'm A Slave 4U - Britney Spears Clothing: This
credits @
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Christian Markwell em Ter Dez 31, 2013 1:43 am


Quarto de Rose

SEQUESTRO- @



Nós começamos a assistir um filme de ação que ela escolheu ao acaso. Não é um bom filme: é apenas um óbvio. Provavelmente o roteirista é um daqueles adolescentes com pai famoso que só quer produzir um filme e se tornar famoso, mas sem talento. Pouco tempo se passa, e Rose se levanta. Procura algo no armário e me surpreende quando volta com um grande pacote de marshmallows. Escondo um sorriso: estou feliz por ela estar comendo por conta própria, e não por obrigação ou por estar praticamente desmaiando, embora eu ache que, antigamente, quando ela ainda trabalhava na famosa marca, mas não assim tão importante quando ela realmente ache, Rose preferiria desmaiar a comer doce.

Quando ela volta a sentar, percebo que a distância entre nós diminui bastante. Não gostei, porque não estou mais na zona segura. Tudo piora quando ela, numa parte não muito importante do filme(apesar de não ter gostado muito, estava assistindo, porque não havia nada melhor para ver, e também porque eu conheço um dos atores e uma das atrizes(na verdade, eu namorei ela antes de... Bem, quase me casar com Ângela), Rose deita do sofá e, para meu espanto, apoia a cabeça em meu colo. 

Alguns minutos depois, pego-me olhando para os lábios dela. Pisco os olhos e sacudo a cabeça, levando embora qualquer coisa que eu tenha pensado que era inadimicível. Felizmente ela já estava dormindo. Estico o braço e pego a coberta, então cubro-a. Encosto a cabeça no encosto do sofá e termino de assistir o filme. Um pouco antes do final, também caio no sono.

ENCERRADO


avatar
Christian Markwell
Comandante dos Guardiões

Mensagens : 158
Localização : Black Castle + Londres

Informações
PhotoPlayer: Matt Dallas
Raça: Filho das Sombras

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Seg Jan 06, 2014 1:00 pm




Where's Cinderella?!

I don't believe in fairy tales!

Eu acordo com um barulhinho irritante. Estico a mão para a mesinha, de olhos fechados, para calar a boca do que quer que seja que está tocando essa música e agarro um celular. Sento rapidamente e abro os olhos. Quando consigo focalizar, desligo o despertador e vejo que horas são. O quê?! Cinco e meia da manhã?! Quem, em sã consciência, acorda as cinco e meia da manhã?! Pior, quem botou meu despertador para as cinco e meia da manhã?! Então viro o celular na mão e vejo que não é meu. Olho para o lado e dou de cara com um adormecido comandante. Claro, eu tinha dormido no colo dele. O filme. Os marshmallows. Tudo vem a minha mente, mas só o que quero fazer é voltar a dormir. Levanto e esfrego os olhos. Abro a janela e vejo o que o sol ainda não nasceu. Vou matar o comandante. Olho para ele de novo e então fico com pena de acordá-lo. Opa. Pena? Que tipo de sentimento é esse?!  
Sei que não vou conseguir voltar a dormir, já estou completamente desperta, e vou para o banheiro, lavar o rosto. Encaro meu reflexo no espelho e, sem procurar muito, acho pelo menos 11 defeitos no meu corpo e mais 6 defeitos urgentes. Hoje ia ser um dia em tanto. Pego o celular do comandante de novo e digito um número de um salão de beleza 24h. Marco uma hora para as 5:30h, porque, adivinhe, o horário estava livre!
Mudança no visual. Eu geralmente não fazia isso. Porque parecia tudo certo comigo. Na VS diziam que estava tudo bom, tudo no lugar. Mas me demitiram. E agora não estava mais refém deles. E via exatamente o que estava errado comigo. Me arrumo rápido e pego o carro, dirigindo até Las Vegas a toda velocidade, porque, imagine só!, as ruas estavam vazias! Chegando lá, troquei o corte de cabelo (o outro estava muito reto) e fiz tudo o que podia fazer.  
Quando voltei para o meu quarto, as aulas daquele dia já haviam começado, já tinha perdido a primeira. Não liguei para esse mínimo detalhe. O comandante ainda dormia. Penso em acordar ele, mais uma vez, mas ele parece muito cansado. E, pra falar a verdade, ninguém merece acordar cinco da manhã todos os dias. Ele podia dormir mais um pouco hoje. Mais um monte, se ele quisesse.
Sem fazer muito barulho, peguei duas malas grandes e comecei a colocar todas as lingeries, camisolas, os biquínis, tudo o que eu tinha da Victoria's Secret dentro. Deixei só o essencial, um pouco mais na verdade, e arrumei por cor em uma das duas portas laterais do guarda-roupa. A outra, que antes era lotada, estava vazia. Deixei as malas num canto e de repente parei, fitando novamente meu reflexo no espelho do banheiro. Havia algo errado. Então olho para o meu rosto e percebo: as lentes de contato.
Eu era, provavelmente, a única pessoa no mundo com olhos claro que usava lentes escuras, castanhas na verdade. Uso elas desde que meus tempos cor-de-rosa acabaram. Uma vez alguém me disse que meus olhos lembravam os da minha mãe. Mas eu não queria lembrar ela. Então coloquei as lentes e só as tirei para fazer o teste para entrar na VS, mas eles disseram que meu rosto combinava com olhos castanhos, por isso não me queriam. Então coloquei as lentes guardadas na bolsa e eles acharam que eu estava perfeita. Agora que me demitiram, nada mais justo do que não continuarem a mandar mais em mim.
Não penso duas vezes. Tiro as lente e jogo-as no lixo. Ao olhar de novo para o espelho vejo meus olhos azuis. Melhor assim.
Não queria pensar no quão horrível era não ter nada mais para fazer. Nenhum lugar para ir, nenhum ensaio, nada. Mas teria que me acostumar com isso. Minha nova... vida? É acho que sim.
Quando saí do banheiro, vi o comandante acordando. E sorri para ele. De verdade. Um sorriso que eu não tinha dado para minha melhor amiga a noite passada. Estranho. Mas ele estava muito engraçado, com o cabelo todo despenteado e tal.
Dormiu bem?


Place: Meu Quarto With: Comandante Music: Cinderella - Britney Spears Clothing: This
credits @
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Christian Markwell em Ter Jan 14, 2014 12:10 am


Quarto de Rose

SEQUESTRO- @



Acordo lentamente, com a sensação de ter dormido de mais e estar atrasado à algo, mas não conseguia lembrar. - Muito, na verdade. E você? A primeira coisa que vejo é Rose, saindo do banheiro. Ela estava diferente. - Por que a mudança no visual? - Então reparo que não foi só o visual dela que mudou. Ela sorriu para mim. Isso é estranho, ela sempre implica comigo e raramente sorri. Sair da agência de modelo fez tão bem a ela que Rose nem imagina. - Se quer minha opinião, você está muito melhor assim. Parece mais natural.

Percebo que ela está se divertindo com alguma coisa que tem a ver comigo. - Ei, o que é tão divertido em mim... Paro de falar quando olho-me no espelho. Meu cabelo está despenteado, e eu realmente pareço que acabei de acordar. Sempre foi assim. - Bom saber que minha aparência descabelada te diverte. Passo a mão no meu cabelo por alguns segundos, e ele logo volta ao normal.

Noto que meu celular não despertou, significa que é cedo de mais; antes das 5:30, horário em que normalmente acordo para correr e lutar. - Por que acordou tão cedo? Não é nem 5:30 ainda.


avatar
Christian Markwell
Comandante dos Guardiões

Mensagens : 158
Localização : Black Castle + Londres

Informações
PhotoPlayer: Matt Dallas
Raça: Filho das Sombras

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Ter Jan 14, 2014 3:01 am




Where's Cinderella?!

I don't believe in fairy tales!

É... Pois é... Então tá...
É o que eu digo quando ele comenta que mudei de visual e fiquei mais natural. Isso é bom? Eu não sei, mas também não ia explicar para ele o porque mudei e agradecer por ele ter "aprovado". Eu tinha gostado, e isso era o que importava. Mas ele falar aquilo foi legal, de verdade.
Ele arruma o cabelo muito rápido e pergunta porque eu acordei tão cedo. Oi?
Seu despertador me acordou cinco e meia da manhã e eu quero matar você por isso, mas deu tempo de ir no salão, então tudo bem. Você não tem noção de que horas são, não é?
Fico obsevando-o procurar o celular e não achar. Ah, estava na minha bolsa. Tiro e entrego para ele.
Peguei emprestado.
Explico, mesmo não devendo explicações. Ou talvez sim.
Observo-o e penso mais uma vez: não é de jogar fora. Não é pra uma noite. Daria um namorado legal.


Place: Meu Quarto With: Comandante Music: Cinderella - Britney Spears Clothing: This
credits @



Última edição por Megan Ivashkov em Qua Jan 15, 2014 1:53 am, editado 2 vez(es)
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Christian Markwell em Ter Jan 14, 2014 1:45 pm


Quarto de Rose

SEQUESTRO- @



O que? Já passou das cinco e meia? Esfrego os olhos, meio sonolento. Por isso a sensação de já ter dormido de mais. Pego o celular da mão dela, sem perguntar porque ela estava com ele. - Por que não me acordou? Olho o horário no relógio. 10:02. Estou 12 minutos atrasado! 

- Droga! Devia ter me acordado, Rose. Levanto e procuro meu casaco. Não acho, então vou para o banheiro e lavo o rosto. As minhas roupas estão todas amassadas, como se eu tivesse dormido com elas. E dormi. Não sei como fui deixar isso acontecer.

Já estou correndo, saindo do quarto, quando paro e falo: - Se achar meu casaco, pode levar no quarto de hóspedes do acampamento? É o meu favorito. Corro até o Campo Azul.

Continua: http://campsobrenaturalrpg.forumeiros.com/t84p21-campo-azul 


avatar
Christian Markwell
Comandante dos Guardiões

Mensagens : 158
Localização : Black Castle + Londres

Informações
PhotoPlayer: Matt Dallas
Raça: Filho das Sombras

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Qua Jan 15, 2014 2:40 am




Where's Cinderella?!

I don't believe in fairy tales!

Eu não acredito que pensei isso. Sério. "Daria um namorado legal"? Onde eu estou com a cabeça hoje? Tento "despensar", mas simplesmente não consigo. Por incrível que seja, parece verdade! Tirando o fato de ter perdido a cabeça comigo aquele dia e me chamado daquilo lá, ele parece perfeito. Só que, obviamente, não é. Por vários motivos.
Ele briga comigo e consigo esquecer o outro pensamento.
Eu não acredito que a culpada sou eu! Eu não acordo que nem uma louca as cinco e meia todo dia! Se você acorda ou não, não é problema meu!
Digo, sem realmente ficar brava. O dia tinha começado muito bem e nem o comandante ia estragar, mesmo com todo o seu poder. Ele sai, depois de procurar um casaco ou algo assim, e pede para mim achar e levar no quarto dele. Assim que a porta fecha, dou uma olhada atrás do sofá e tiro o casaco dele de lá. Sem comentários.
Paro um tempo com o casaco na mão e começo a pensar aquele pensamento de antes. Ok, estou vendo que hoje vai ser um dia cheio.
Pego a bolsa, olho meu reflexo no espelho e sorrio. Não estou com mais tantos defeitos assim. Ainda vejo alguns, mas não tantos. Só que eu vou pensar nisso em outra hora. Tenho que fazer algo. Liss deve ter tempo livre agora, então vou falar com ela.
Saio do quarto com o casaco do comandante na mão, minha amiga vai gostar de saber disso.

Continua: http://campsobrenaturalrpg.forumeiros.com/t651p14-quarto-de-lissa-grigori


Place: Meu Quarto With: Sozinha Music: Cinderella - Britney Spears Clothing: This
credits @

avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Dom Jun 01, 2014 10:28 pm




Don't Tell Me How to Feel!

You had it all and now your left for nothing!

A mesma coisa das outras noites. No começo, achei que era o excesso de trabalho, porque eu realmente não estava tendo tempo nem de respirar. Teve uma semana que eu fiz 27 viagens, do Japão á África do Sul, fotografando, desfilando, fazendo qualquer coisa para parar de pensar em Lissa. E no que poderiam estar fazendo com ela. Tentei achar o lugar em que ela está escondida, tentei fazer contato com Dallas, com qualquer um, mas não adiantou nada. E foi aí que os sonhos começaram: eu sempre entro em uma sala, e tem várias pessoas conhecidas ali: meu pai, alguns campistas, o Comandante. E todos olham para uma mesa no centro. Ali em cima, um caixão. Eu me aproximo e vejo Lissa dentro dele. Começo a gritar e então acordo. Sempre a mesma coisa. Sempre do mesmo jeito.
E não foi diferente essa noite, a primeira noite em semanas que eu dormia no meu quarto, no camp. Só foi mais cedo. Quando acordo, estou acelerada e fico de pé em um instante. Tomo uma decisão e olho para o relógio: 3 da manhã. Não importa. Vai ser agora. Vou falar com o Comandante, dizer que tudo bem se ele não quiser fazer alguma coisa. Eu quero. E vou fazer, ele deixando ou não. Vou procurar ela pelo mundo inteiro, se for preciso.
Começo a me arrumar e do nada, escuto alguns gritos no corredor e abro a porta. Um funcionário do camp está correndo por ali, batendo em todas as portas dos quartos, gritando sobre um ataque, que todos tinham que ir pra floresta... Esse cara tá bêbado? Chego a perguntar, mas ele só continua gritando a mesma coisa. E então acho que é sério.
Mesmo sem confiar muito no bêbado, coloco uma blusa e saio antes dele, indo para a floresta, mas já ouvindo os sons de luta de longe.


Place: Meu Quarto With: Lissa Music: Lonely - Britney Spears Clothing: This
credits @

avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Willian Ivashkov em Seg Dez 01, 2014 7:02 pm

Eu provavelmente iria receber o título de pior pai do mundo esse ano.
Era a primeira vez, desde que fora solto, que vinha ver minha filha. Havia estado tão ocupado durante todos esses dias, nem tinha conseguido deitar para dormir por falta de tempo: eram ligações para fazer, coisas para rever, planos para bolar e torturas para tentar evitar. Logo no primeiro dia, a Noiva das Sombras mandou me chamar, queria saber algumas coisas sobre o funcionamento do Acampamento, passei a noite toda acordado, pois Ela queria tudo do seu jeito e parecia não sentir sono. Depois comecei a tentar bolar alguma coisa para tirar o ASN das mãos Dela e, só então, descobri que Rose tinha sido torturada e estava recebendo transfusões de sangue, uma informação muito rápida e sem detalhes. Quis ir vê-la imediatamente, mas fui avisado de que estavam torturando cruelmente alguns alunos mais novos na aula de Línguas Estrangeiras e tive que ir lá. Não podia intervir de frente, havia o risco de voltar a ser preso e, trancado em algum lugar, não faria plano nenhum. Por isso, escondido, usei magia para atacar os torturadores, discretamente. E isso se repetiu, cada dia mais vezes, até que Christian parou de ajudar a achar uma solução. Jogou tudo para o alto, alegando estar com coisas demais na cabeça. Tive que começar a ver tudo sozinho.
Cada vez que ouvia algo sobre Rose, perguntava para a enfermeira o estado de minha filha. Na primeira vez, ela me pareceu surpresa, como se eu devesse saber sobre isso, mas como deixei claro que não havia sido informado de nada, ela só desconversou e disse que a vampira estava se recuperando bem. E então eu voltava aos meus afazeres. Eles começaram a dar resultado quando consegui colocar alguns guardiões para dentro do ASN, disfarçados de campistas. Fazíamos isso de noite: eu fingia que ia para o meu quarto dormir, mas, na realidade, executava lá as magias de teletransporte. Durante toda a madrugada. A maioria dos guardiões estava já infiltrado por aqui. E todos eles iriam na The Dark Night de hoje a noite. Pela manhã: planos e torturas. A noite: magia.
A enfermeira resolveu abrir o jogo comigo só a alguns minutos atrás, quando perguntei por minha filha mais uma vez, ela, alegando que não queria me preocupar, disse que Rose não estava reagindo às transfusões e que continuava em coma, nada bem. Deixei-a falando sozinha e vim imediatamente ao dormitório dos vampiros, depois acertaria as contas com a enfermeira.
Não gostei nada do que vi aqui: ela estava muito mais pálida que o habitual. Frágil. Quase morta. Minha filha.
Deixei-me cair ao seu lado na cama. Como eu não tinha vindo vê-la antes? Porque não tinha vindo imediatamente? Será que ela sempre teve razão, afinal? Eu realmente coloco o trabalho a frente de tudo? Nunca vou me perdoar. Algumas lágrimas começaram a cair sem que eu notasse, a muito tempo não chorava. Não podia perder Rose. Ela era a única coisa que restava de uma família que um dia fora feliz. A única coisa que realmente me restava. Eu a amo mais que tudo no mundo. Não acredito no que fiz.
Sempre que olho para ela, vejo a sua mãe. As duas são tão diferentes... Queria ter tempo para pedir desculpas, ela não teve uma vida fácil, morou desde sempre no Acampamento e teve uma infância com um pai ausente. Ela não merecia nada disso. Talvez, se tudo tivesse sido diferente, ela não estaria assim. Ela não seria uma pessoa tão difícil e, então, não brigaríamos tanto. Passaríamos mais tempo juntos.
Desculpe, filha.
Sussurro, mesmo sabendo que ela não vai me ouvir. Poderia dar mil motivos para ela acordar naquele momento, mas sabia que não iria adiantar. Tentei sua pulsação: muito fraca, algo como 10 batimentos por minuto, isso era possível? Ela estava por um fio. Mais lágrimas escorreram. Como a enfermeira escondeu isso de mim? Porque não dei mais importância? Eu nem sabia o que realmente tinha acontecido. Tortura, era o que todos falavam, mas eu não parei para escutar como, onde, de que forma, quem a havia torturado. Estava cuidando dos outros alunos e deixei ela de lado mais uma vez. E teria que deixa-la de novo. Os guardiões já estavam na festa e precisava ir lá, para garantir que tudo sairia como o planejado. Não. Eu não podia sair daqui. Meu celular começou a tocar e eu ignorei. Levantei devagar, colocando-a em uma posição confortável e cobrindo-a com cuidado. Foi então que notei os cortes. Pela quantidade de curativos, eram muitos, mas ela era uma vampira e todos os cortes deviam fechar-se quase instantaneamente... A não ser que... Je La Lune. Por isso tanta perda de sangue. Quem fez isso com ela? Assim que eu descobrisse...
Seja lá quem estivesse querendo falar comigo, era insistente. Continuei ignorando o telefone por mais um tempo. Me afastei de Rose e olhei para o seu quarto, com calma, como não fazia a muito tempo. As mudanças estavam ali: bolsas para mais tranfusões, fios, remédios, garrafas de água e sangue para quando acordasse... Eu tinha que acreditar que ela acordaria. Não sei o que seria de mim se isso não acontecesse. Mesmo com tantas coisas novas, o quarto continuava o mesmo, com um jeito só dela: nenhuma foto, tudo meio organizado, cores escuras. Eu sempre tive saudade da menina que Rose fora, até os 15 anos. Ela era querida e eu a amava. Agora percebo que tenho saudade da Rose moça, aquela que não estava nem aí para ninguém, a que tem uma das fichas de ocorrências mais longa de todo o camp. Preciso que ela acorde.
Meu celular não para de tocar, então atendo, meio a contragosto. É um dos guardiões que está infiltrado aqui, na TDN. Ele diz que os campistas estão recebendo adagas junto com os tradicionais presentes brancos. Sei que devo ir para lá e sei que deveria ficar aqui com ela. Então penso no que estou sentindo vendo-a desse jeito, se não impedirmos a Noiva das Sombras vários pais se sentirão do mesmo jeito. Isso não pode ocorrer. Dou uma última olhada para Rose e saio, sem pensar em mais nada.

Continua: http://campsobrenaturalrpg.forumeiros.com/t67-salao-de-festas
avatar
Willian Ivashkov
Diretor do Camp

Mensagens : 49
Localização : Acampamento SN

Informações
PhotoPlayer: Matt Lanter
Raça: Bruxo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Megan Ivashkov em Ter Abr 28, 2015 8:52 pm




My Last Night

Everytime they turn the lights down...

Nunca parei para pensar em como morreria e, agora que estava acontecendo, não conseguia acreditar nos motivos.
Quando acordei aquele dia, sabia que iria ter só mais algumas horas. Meu corpo inteiro doía, estava difícil manter os olhos abertos e o esforço para tentar me ambientar ao meu quarto ao redor era imenso. Tudo tinha mudado: aqueles remédios ao lado da cama, as toalhas, o lençol manchado de sangue, os livros em cima da mesinha, o sofá desarrumado. O cheiro também não era mais o mesmo. Parecia que um aroma permanente de álcool tinha ficado grudado por ali. Olhei para baixo e analisei a mim mesma: nunca estive assim. Todo o meu corpo estava coberto de curativos, muitos dos quais não estavam adiantando. Sentia algo escorrendo nas minhas costas. Ah, as costas. Era a parte que mais latejava, sentia como se só ela já estivesse me matando.
Me apoiei na cama e tentei levantar, ignorando a dor. Consegui na terceira tentativa. A princípio fiquei tonta e quase caí de volta, mas me equilibrei. Dei alguns passos rodeando o quarto e notei mais coisas que me intrigaram: as bolsas de sangue ao lado do banheiro e os papéis perto dos livros da mesa. Fui até o sofá desarrumado e deixei-me cair ali. Estava doendo muito mesmo. Tudo.
Examinei os livros e os papéis por estarem mais perto. Queria distância daquelas bolsas de sangue, até porque tinha uma boa ideia para que serviam. Os livros eram sobre medicina sobrenatural, os papéis continham algumas anotações, mas não reconheci a letra. Tive que abrir um dos exemplares para ler as iniciais do nome do dono dele: C.M. Comandante Markwell. Ele andava vindo aqui.
Todas as memórias daquela noite vieram até mim de uma vez só. Dallas, Ela, o Comandante. E, antes deles, Lissa, Bran. Todos eles tinham estado lá aquela noite. Lembro do olhar que lancei ao Comandante. Só esperava que tudo tivesse adiantado para alguma coisa, que a Noiva das Sombras estivesse bem longe agora. Coloquei o livro de volta na mesinha e me recostei no sofá. Estava morrendo. Por uma causa nobre. Realmente não esperava por isso. Sabia que não teria nem metade do tempo que precisava para me despedir de todos que eu queria, por isso peguei os papéis jogados ali e comecei a escrever. Fazia tudo muito devagar e mesmo assim era consumida pela dor. Escrevi quatro cartas separadas, porque era melhor. Primeiro, para o meu pai - possivelmente a mais sentimental. A de Lissa - a mais difícil, afinal havia muito o que dizer para ela. A de Bran - a mais curta e mais repleta de significados. E, por fim, quando já não me aguentava mais desperta, a do Comandante - a maior de todas. Devo ter demorado uma hora ou mais em todo o processo, mas pelo menos me distraiu da dor por um momento. E isso era incrível.
Essas quatro pessoas eram as que mais importavam em toda a minha vida. Quatro. Eu tinha, provavelmente, ficado com uns trezentos caras, ou mais. Trabalhei em pelo menos cinquenta lugares diferentes. E, no final da vida, escrevi quatro cartas, para as únicas quatro pessoas que se importaram comigo, para as únicas quatro pessoas com quem eu me importei. Isso soa muito meloso. Horrível.
É estranho essa sensação de estar morrendo. Parece que você está na beira de um precipício e não precisa pular. Está ventando muito e você sabe que será empurrada. Então você tem os últimos 15 minutos.
Levanto, achando forças sabe-se lá onde, e vou até o meu closet. Ah, esse lugar. Não importava mais nada agora, mas passei por muita coisa aqui, com esse cheiro de sapatos. Choros, vitórias, risos, amassos. Agora danem-se os sapatos. Pego um vestido preto e troco de roupa ali mesmo, com um grande esforço. Preto porque esconderia mais o sangue. Solto. Esvoaçante. Estou descalça e caminho até a minha cama. Está muito suja, com esses lençóis ensopados de sangue. É muito sangue em toda parte. Eu nunca gostei de sangue. Que tipo de vampira eu fui? Escondo as partes sujas e então começo a sentir a lentidão. Deito-me na cama, cruzando as mãos sobre o peito. Nada importa mais agora. De repente sinto algo e uma grande quantidade de sangue sai do meu corpo, formando uma poça abaixo de mim. E eu paro.
O vento cessa. E então... Uma brisa. O suficiente. Você está dentro do abismo.

O FIM


Place: - With: - Music: - Clothing: This
credits @
avatar
Megan Ivashkov
Vampiros

Mensagens : 123
Localização : Camp

Informações
PhotoPlayer: Isabeli Fontana
Raça: Vampira

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Brandom Stark em Ter Abr 28, 2015 9:37 pm



Um garoto correu até mim na quadra de basquete e claro que o ignorei completamente. Estava aceitando qualquer esporte, qualquer coisa para não ficar parado, e passei o dia todo jogando. Sozinho, porque parecia que eu era o único com clima para isso, o resto do camp preferia chorar sentado. O pirralho disse que a enfermeira havia mandado me chamar, o que me fez parar imediatamente. Ele disse a única coisa que eu não queria ouvir. Gritei com ele e joguei-o no chão. Não era brincadeira. ''Ela está morta, sr. Brandom.''
Não podia ser. Ele conseguiu me dizer que já havia avisado o Diretor e o Comandante, e que estava indo ao quarto de Lissa.
Não. Fale. Com. Ela.
Podia ser só uma brincadeira, ela podia preocupar-se à toa. Era uma brincadeira, só podia ser isso. Mas senti uma certa urgência na voz do pirralho, que me fez sair correndo para o dormitório dos vampiros. As pessoas no caminho que não viram mais do que um vulto passando, corri muito rápido. Cheguei ao quarto e a vi.
Linda. Perfeita. Morta.
Por um momento, não vi mais nada além de Megs, deitada naquela cama ensopada de sangue e, ao mesmo tempo, tão viva. Era difícil explicar. Quando me dei conta da enfermeira ali, ela me entregou um envelope, dizendo algo sobre ser uma carta de Megs, provavelmente a última coisa que ela fez antes de finalmente morrer. Era verdade. Não conseguia acreditar. Como contar isso para Lissa?
Me deixei cair no sofá, que estava sujo de sangue também, assim como o quarto inteiro, e fiquei olhando-a. Tudo que aconteceu com a gente passou pela minha mente muito rápido. Agora ela estava morta. Não conseguia pensar em mais nada.
Fiquei um momento olhando para o envelope nas minhas mãos, antes de colocá-lo no bolso. Leria depois. Megan. Morta. Era impossível e, no entanto, estava acontecendo.
Eu ia matar Dallas.





_ _ _ _ Acampamento SobreNatural RPG _ _ _ _

avatar
Brandom Stark
Administrador

Mensagens : 135
Localização : Vire para trás...

Informações
PhotoPlayer: Zac Efron
Raça: Lobisomem

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Willian Ivashkov em Sex Ago 07, 2015 6:53 pm

Estava trabalhando quando me contaram.
O parte financeira do Acampamento não ia nada bem. Os alunos nunca pagaram mensalidade e nós éramos uma instituição mantida pelo Black Castle. Sem os repasses mensais de lá, devido a toda a confusão atual, estávamos nos encaminhando para uma grande crise. Os salários dos funcionários começavam a atrasar e eu temia pelo que poderia acontecer. Agora eu fazia contas todos os dias: dinheiro, mantimentos, o que era ou não prioridade...
O garoto entrou pela porta meio sem jeito, disse a notícia meio apressado, teve de repetir algumas vezes e foi jogado para longe quando finalmente me dei conta de que estava falando a verdade. Corri o mais rápido que pude para o dormitório dos vampiros e não consegui descrever o que senti ao vê-la lá. Minha filha, morta. Eu não sentia nada, não pensava nada, não me mexia. Por alguns momentos eu não vivi. O que fazer agora? O que pensar? Meu corpo respondia sozinho: caí ao lado dela na cama e chorei.
Naquela noite houve um velório e flores. Muitas flores, de todos os remetentes possíveis. Algumas pessoas apareceram, cheias de palavras batidas de conforto para mim, eu não conseguia respondê-las com muita educação e elas ficavam um tempo a mais antes de irem embora. Fiquei ali a noite inteira, sem tirar os olhos dela naquele caixão em cima da mesa de centro, mesmo sabendo que ela não levantaria. Não olharia toda aquelas pessoas e mandaria todo mundo embora. Não brigaria mais comigo. Não se trancaria mais aqui nesse quarto... Eu estava arrasado.
No outro dia, pela manhã, houve um enterro e mais flores. Escolhi enterrá-la na Estrada, porque todos os campistas saem por lá no seu último ano e nem poderia ser diferente com ela. A campista mais antiga daqui. Muitas pessoas apareceram para a hora final. Eu parecia simplesmente ali, mas minha mente vagava: ora vazia, ora relembrando momentos isolados com ela. Não via mais motivo para sorrir, ou existir. Tinha aquela tradição de jogar uma flor em cima do caixão, antes da terra, e eu pude escolher entre várias flores, mas escolhi a mais simples de toda, branca e perfeita. Tão diferente e ao mesmo tempo tão igual a ela. Megan Rose Ivashkov. Minha filha, minha família, morta.
Muito tempo depois de todos terem ido embora, fiquei ali. Por horas, até anoitecer, quando me dei conta, revirando os flashes dessas últimas horas na memória, que Lissa Grigori não havia aparecido. Ela não sabia ainda. Levantei devagar do chão coberto de folhas, e me dei conta de que não estava sozinho. Brandom Stark estava ali. Aliás, ele esteve ali desde o começo. Conversei com ele por um momento, afinal, talvez ele conhecesse ela melhor que eu mesmo. Falamos sobre quem ela era e quem queria mostrar ao mundo. Duas personalidades tão diferentes... Lamentei mais uma vez por ser um pai tão ausente, mas agora não adiantava mais nada.
Ele me entregou uma carta que havia sido escrita por ela, segundo a enfermeira, naquele fatídico momento antes da morte. Não a leria agora, queria guardar o último pedaço de Rose comigo até o fim. Brandom se ofereceu para falar com Lissa e entregar a carta dela. Agradeci e fiquei sozinho ali, olhando todas aquelas flores e aquela terra...
Como seria daqui para frente?

ENCERRADO

avatar
Willian Ivashkov
Diretor do Camp

Mensagens : 49
Localização : Acampamento SN

Informações
PhotoPlayer: Matt Lanter
Raça: Bruxo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quarto de Megan Ivashkov

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum